Como gerar mídia espontânea para seu negócio

É difícil imaginar alguém que negue o papel que os grandes canais de mídia têm na divulgação de um negócio, seja ele de alcance nacional ou apenas regionalizado. Se ela puder vir como mídia espontânea, isso se torna ainda mais interessante.

Contudo, pouca gente sabe que apesar de o termo ter se consagrado como sendo uma mídia “espontânea”, ela pode ser gerada pelas marcas. Há vários esforços que uma empresa pode empreender nesse sentido, como ficará claro adiante.

Até porque, para um negócio construir sua reputação e ganhar credibilidade, não existe solução do dia para a noite. Pelo contrário, há todo um processo que pode demorar bastante e até envolver questões mais complexas, como solução de crises.

Há várias maneiras de fazer a gestão desse processo. Neste artigo vamos focar nas que giram em torno dessa mídia que, de modo resumido, podemos dizer que nada mais é que o oposto da “mídia paga”.

Isso que parece inverossímil num primeiro momento, na verdade faz parte da rotina dos veículos de informação da área. Se você prestar atenção na televisão, no rádio ou na mídia impressa da sua região, vai perceber isso.

Às vezes um canal qualquer encontra numa empresa que teve uma grande ideia o tema que faltava para sua programação. Isso é comum, por exemplo, em marcas que reforçam seu compromisso com a sustentabilidade.

Mais recentemente isso ganhou até um nome: “marketing verde”. Seja como for, qualquer negócio pode entrar nesse universo, então se você também quer compreender como gerar mídia espontânea para sua própria empresa, basta seguir adiante na leitura.

Uma questão de credibilidade

Seria um erro dizer que a mídia paga e o marketing tradicional não são capazes de trazer credibilidade para uma marca, já que o mundo da publicidade cresceu em torno disso. Porém, há um fato curioso na mídia espontânea.

Além de ser gratuita, pois o veículo tem interesse em transformar seu caso em matéria, ela ainda gera mais segurança perante o público. Ora, imagine se o CEO de uma rede de empresas de alimentação fosse convidado para dar entrevistas ao vivo.

O que o público vai pensar, automaticamente? Que aquele diretor executivo é uma pessoa idônea, que tem autoridade em seu segmento e pode representá-lo, provavelmente por ter uma carreira e um serviço acima da média.

Isso ocorre porque todo mundo é capaz de perceber a diferença entre um comercial e uma entrevista jornalística; ou seja, entre a publicidade e a autoridade de alguém que sabe do que está falando, segundo critério de terceiros e não próprios.

Nisso consiste, na verdade, a principal dica sobre mídia espontânea: seja você mesmo e busque a excelência. Se você tem uma empresa de construção e reforma, dê o seu melhor desde o começo, com uma boa cultura organizacional, e os resultados virão.

Dito de outro modo, não é só a mídia que é “espontânea”, a marca também precisa ser. Então olhe para dentro antes de olhar para fora.

Isso é ainda mais verdadeiro em tempos de redes sociais, nos quais a informação corre sem controle e já não é tão fácil manter uma mentira de pé.

Um modo construtivo de dizer isso é afirmando que o protagonismo da credibilidade está com a empresa, com a marca, e não com a mídia, seja ela qual for. Esse esforço vai desde sua presença digital, passando pelo atendimento, até o pós-venda.

O papel da Assessoria de Imprensa

Embora já existisse em versão impressa há muito tempo, o jornalismo e a mídia em geral só passaram a ter o papel de destaque que têm hoje com o advento do rádio. Depois, quando a televisão se disseminou, isso se tornou ainda mais proeminente.

Hoje o assunto é tão incontornável que mesmo empresas menores, que se enquadram na categoria de abertura de empresa simples, podem contar com os serviços de consultoria de uma Assessoria de Imprensa.

Seria mais ou menos como contar com os serviços de um contador ou de um advogado. No caso da AI (sigla para Assessoria de Imprensa), porém, a proposta é mais propositiva do que reativa, a não ser no caso de a empresa estar passando por uma crise.

No caso da crise, é muito simples. Se o negócio enfrenta problemas (como causas trabalhistas, que são muito comuns), não seria melhor a empresa também poder prestar sua versão dos fatos? O papel da AI está em fazer essa ponte em tempo propício.

Outra função, que vai ajudar muito na hora de gerar mídia espontânea, é a de media training. Neste caso, os representantes da marca estarão habilitados para se posicionar em entrevistas, melhorando o posicionamento da marca e suas relações com a mídia.

Mas o principal papel ainda é o de mapear o mercado. Se você trabalha com serviços de avaliação imobiliária, quais são as melhores pautas e os assuntos que mais podem atrair a atenção dos veículos de mídia?

Ao elaborar isso, a AI cria releases e os dispara para todos os tipos de mídia, testando a aderência de cada pauta e criando um planejamento cada vez mais consistente. Como isso ajuda os jornalistas, cria-se um círculo virtuoso que só aumenta os resultados.

A importância atual da internet

Hoje em dia é impossível falar sobre mídia, seja ela espontânea ou paga, sem falar no papel que a internet e a esfera digital assumiram na divulgação de um negócio. Isso ainda tem a vantagem de tornar essa estratégia mais democrática e acessível.

Por exemplo, a Assessoria de Imprensa pode alinhar um influencer digital da área de pedagogia com uma escola infantil em Sao Paulo, potencializando os negócios. Isso também é mídia espontânea, e pode se mostrar igualmente importante.

Aliás, o poder de segmentação que os influencers trazem torna o processo até mais assertivo, uma vez que as mídias tradicionais continuam gerando matérias e conteúdos de maneira pulverizada, sem poder canalizar apenas para um nicho de mercado.

Isso demonstra outro aspecto fundamental da mídia espontânea: o processo como um todo, do começo ao fim da comunicação. Não adianta de nada você sair todo mês nos principais jornais da região, se não houver canais de diálogo em funcionamento.

Portanto, a internet também serve para você digitalizar seu negócio e marcar presença nas plataformas mais importantes, tais como:

  • Blogs e vlogs;
  • Site institucional;
  • Redes sociais;
  • Marketplaces;
  • Entre outras.

As redes sociais podem, por exemplo, dar início a um atendimento que nasceu de uma matéria que a pessoa acabou de ver. Os blogs e vlogs podem ir muito além.

Imagine que uma clinica de medicina do trabalho conseguiu o destaque que esperava, e agora várias pessoas estão acessando seu site, que conta com posts e vídeos que aprofundam o assunto com o famoso marketing de conteúdo.

Assim fica bem melhor, não é mesmo? Além disso, as plataformas de reclamações também merecem atenção, então é preciso ficar atento e responder todo tipo de feedback que entrar, especialmente para converter os que não foram tão positivos.

Leia também: 5 Vantagens do uso das Redes Sociais para empresas

Ainda sobre as vantagens e os benefícios da mídia espontânea

Já vimos como é importante a marca protagonizar sua própria credibilidade, manter a coerência em suas ações no mercado e, claro, ter boas relações com a mídia. Outro papel da Assessoria de Imprensa e da mídia espontânea é o do custo-benefício.

O primeiro ponto óbvio é o da economia de recursos financeiros. Às vezes, a economia que um negócio de consultoria fiscal consegue fazer já justifica o investimento nos serviços de uma boa AI, trazendo vantagens sem ter de gastar mais por isso.

Além da economia, outro foco é o aumento de receita e, claro, de negócios. Ou seja, hoje a mídia espontânea já não se limita a conseguir determinada visibilidade por algum tempo, mas sim novas oportunidades o tempo todo.

Assim, quando a assessoria consegue uma boa mídia espontânea, é possível mensurar o resultado, como por meio de leads. Se a exposição trouxe cem, quinhentos ou mais de mil leads novos, cabe à marca estar preparada para isso.

Portanto, também é preciso ter uma visão de negócios e um horizonte de expansão. Afinal, mídia é sempre mídia e o foco não pode deixar de ser o das oportunidades, da rentabilidade e do aumento de lucros.

Deste modo, se a empresa trabalha com pintura predial, é preciso pensar na sua infraestrutura, o que pode ir desde os materiais e ferramentas indispensáveis, até a equipe de funcionários e possibilidade de trazer mais gente por empreitada.

Por fim, se você quer economizar em mídia paga, que tal investir na criatividade? Ouse fazer lançamentos criativos, novas maneiras de “embalar” ou estrear sua solução (como as antigas festas de estreia), promoções “arrasa-quarteirão” e daí em diante.

Tudo isso pode atrair a atenção de que sua marca estava precisando. Com isso, vemos como gerar mídia espontânea pode ser ótimo para qualquer negócio, especialmente se ele seguir as dicas desenvolvidas acima.

 

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

 

Deixe um comentário sobre a matéria!

Sobre Nós

Agência de Marketing Digital em SBC, focada em Inteligência de Dados e Performance.

Somos uma Agência Parceira Oficial do Google, Facebook e RD Station.

Posts Recentes

Curta a nossa FanPage

Parcerias Oficiais

Receba nossos Conteúdos