Saiba por que trabalhar a linkagem interna e externa de seu site

Saiba por que trabalhar a linkagem interna e externa de seu site
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

Já não é novidade para ninguém como o Google e os demais buscadores se tornaram importantes na estratégia de marketing digital de qualquer empresa. O que poucos sabem é o papel que a linkagem interna e externa tem nesse universo.

De fato, segundo pesquisas do Internet Live Stats, atualmente só o Google já acumula um número de 3,5 bilhões de pesquisas realizadas diariamente no mundo todo. É como se uma a cada duas pessoas do planeta inteiro fizesse ao menos uma busca por dia.

Esse número só tende a crescer, e cada vez mais se mostra capaz de incluir também o universo de pequenas e grandes empresas. Basta buscarmos por algo como elevador de carga industrial, e pronto, são milhares de resultados.

Muitas vezes o retorno vem com opções de geolocalização, que permite identificar onde estamos localizados para indicar o serviço ou estabelecimento mais próximo. Tudo isso facilita a relação entre as empresas e seus consumidores.

Portanto, engana-se muito quem pensa que os motores de busca são apenas entretenimento. Na verdade, eles têm tudo a ver com soluções corporativas e cada vez mais são utilizados pelas grandes marcas.

É justamente aí que surge a necessidade de falarmos sobre o gerenciamento de links (também chamado de link building), que lida com a linkagem interna e externa dos sites e tem se mostrado um dos maiores fatores de ranqueamento.

Ou seja, se uma empresa de manutenção de redutores de velocidade quer que os usuários encontrem o seu site quando pesquisam pelas palavras-chave do seu segmento, ela precisa trabalhar seus links internos e externos de modo estratégico.

Por isso decidimos escrever este artigo, trazendo aqui vários conceitos imprescindíveis sobre o assunto, além de dicas práticas e várias novidades fundamentais que surgiram nesse tema nos últimos meses.

O mais bacana é que as estratégias de link building evoluíram tanto que hoje elas realmente já podem ser aplicadas a qualquer nicho de mercado.

Portanto, seja para falar sobre venda de produtos populares ou prestação de serviços como abertura de empresa em São Paulo, tudo isso vai poder ajudar o seu negócio a se posicionar melhor nessa que já é a maior vitrine do mundo.

Sendo assim, se você não vê a hora de dominar esse assunto e reforçar de uma vez por todas a presença digital da sua marca, basta seguir adiante na leitura.

O que é o link building?

Um dos maiores erros que as empresas cometem ao lidar com a gestão de links, seja dos seus sites institucionais ou dos blogs, é não entender o papel fundamental deles.

A própria divisão entre links internos e externos é essencial, porém ainda antes dela vem o fator mais indispensável, que é o da “experiência do usuário”.

No fundo, só o que o Google e os demais buscadores querem é oferecer para seus próprios usuários as melhores soluções possíveis em termos de resultados de busca.

Afinal, se uma pessoa pesquisa por algo como bebedouro industrial 100 litros, quais são os melhores sites da internet sobre esse assunto? Dito de outro modo: como eu posso fazer com que meu site seja um dos melhores?

É aí que entra a realidade dos links, que são um fator essencial na experiência de cada um de nós, e que portanto são prioridade na hora de criar e otimizar um site.

Afinal, um blog sobre qualquer assunto pode fazer ligação com outras páginas dele mesmo que aprofundem aquele tema (links internos), ou com outros sites que façam a mesma coisa (links de saída).

Além disso, outros sites de autoridade no assunto também podem fazer links para o meu conteúdo (são os famosos backlinks). Adiante entenderemos melhor cada um desses.

Por dentro dos links externos

Já vimos que a otimização não é o único motivo para fazer links, já que ela própria gira em torno da experiência do usuário, e não de uma regra fria e arbitrária.

Isso fica ainda mais claro quando falamos sobre as melhores razões que um determinado site tem para fazer linkagem externa com outros portais.

Por exemplo, se a empresa lida com advocacia condominial, ela pode encontrar quatro bons motivos para investir nesse tipo de estratégia, que são:

  • Os assuntos que extrapolam sua área;
  • A citação de pesquisas e dados externos;
  • As citações e referências de tipo bibliográfico;
  • A tática de chamar atenção de parceiros.

Ou seja, é preciso usar a criatividade e não se limitar a uma visão chapada. Tudo começa com o reconhecimento de que ninguém pode dominar todos os assuntos ao mesmo tempo, pois sempre vai haver alguém que pode ajudar.

Depois, a citação bibliográfica é lei, já que simplesmente “copiar” a ideia de alguém, mesmo que com outras palavras, pode ser considerado plágio. Esse crime previsto pode acabar até mesmo na prisão do infrator (de 3 meses a 1 ano, conforme artigo 184 do Código Penal).

Por fim, não pode haver melhor maneira de chamar a atenção de possíveis parceiros do que dividindo sua audiência com eles. Certamente, ao fazer um link com alguém do seu segmento, a pessoa vai ficar sabendo e vai ver sua marca com outros olhos.

Como conseguir links externos?

Alguns confundem fazer links externos com receber links externos. Na verdade, fazer é aquela parte que compete a você e mais ninguém, e os motivos para isso são os que apresentamos acima.

Quer dizer, você vai focar na autoridade do site antes de fazer link do seu conteúdo para o dele, além de ficar de olho na coerência entre os temas e, claro, na quantidade, para que não haja excessos. Afinal, a base do conteúdo continua sendo a sua página.

Já o esforço de conseguir receber links externos, ou seja, ser citado por outros sites, é um pouco mais desafiador, embora simples.

No fundo, se o seu site é sobre válvulas de segurança, tudo começa em criar excelentes conteúdos originais, que realmente agreguem valor aos que vão ler o material.

Por isso, uma boa dica é vasculhar a internet atrás de pessoas que já tenham mencionado você, mas não fizeram a devida citação/linkagem. Isso inclui encontrar sites que fizeram linkagem com páginas desatualizadas, então passe seu link correto.

Depois, um passo bacana é explorar grandes portais, que vivem de citar outros produtos e serviços, pois ali a inserção do seu conteúdo seria um pouco mais natural.

Finalmente, os guest posts são estratégias arrasadoras, pois com elas é possível criar conteúdos em parceria. Assim você menciona a outra marca em seus conteúdos e ela faz a mesma coisa (gerando backlinks para você), de modo que ambos crescem juntos.

Por dentro dos links internos

Depois de falar sobre links externos, parece até fácil falar sobre os internos, já que eles dependem muito mais de nós do que de outros sites e empresas.

Ainda assim, muitos deixam essa oportunidade passar. O primeiro ponto fundamental é montar um mapa do seu site, entendendo a fundo a interrelação entre seus próprios conteúdos.

Isso aumenta a chance de o leitor realmente clicar em um link interno quando se deparar com algum, em vez de passar batido. Além disso, você pode aproveitar sua audiência para impulsionar conteúdos estratégicos, fundamentais ou mesmo novos.

Um CTA (Chamado para Ação) ou um banner especial sobre manutenção elétrica industrial pode aparecer em cada página sua, deixando claro que esse é o foco do seu site e do seu próprio negócio.

Sem falar que você pode usar os links internos como modo de avançar os clientes na jornada de compra, acelerando o seu funil de vendas. O modo mais prático de fazer isso é oferecendo conteúdos mais densos em páginas de introdução do tema.

Assim, enquanto lê um artigo sobre determinado assunto, os banners já oferecem ao visitante a opção de baixar um e-book ou ouvir um podcast sobre o mesmo tema.

Segredos de linkagem interna

É preciso considerar que os algoritmos do Google e dos demais buscadores estão cada vez mais dinâmicos e mais “inteligentes”.

Por isso, podemos falar também em algumas outras boas práticas de linkagem interna, que vão além do óbvio. Um exemplo é o uso do texto âncora, que é o ponto exato onde você ativa o link interno. Em vez de “clique aqui”, use uma frase contextualizada.

A questão da quantidade (que já mencionamos nos links externos), também vale aqui. Então, é necessário ser preciso e assertivo, inclusive criando uma hierarquia.

Assim, se o site é sobre motobomba diesel, faça uma shortlist ou “top 5” dos seus conteúdos mais importantes, garantindo que eles apareçam nos melhores momentos.

Essa hierarquia também deve considerar os artigos mais recentes e que contam com mais atualização, pois além de ajudar na otimização, isso reforça a experiência.

Considerações finais

Tudo o que vimos deixou claro que a linkagem interna e externa de qualquer site vai muito além da otimização.

Ela tem a ver com a experiência do usuário, tanto no sentido do visitante que utilizou o motor de busca para chegar até você, quanto no sentido de que ele é um lead ou cliente em potencial.

Com as dicas que demos acima, vai ficar ainda mais fácil atingir a pessoa certa, na hora certa, garantindo que seu site será uma referência no seu segmento.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.