O que é private equity?

O que é private equity?
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no pinterest

A modalidade de investimento vem ganhando espaço no mercado; conheça

Muito embora o conceito possa parecer novo, eles foram criados na década de 1980 nos Estados Unidos e desde então vêm sendo utilizados como mecanismo de investimentos no país. Os fundos private equity são uma modalidade em alta no mercado brasileiro, razão pela qual é importante conhecê-los e entender como eles funcionam na prática.

Mas, afinal, o que é private equity? Qual é a sua relação com a venture capital? E como ela se relaciona com o mercado de investimentos? Essas são dúvidas importantes e que ajudam a entender as características e benefícios da modalidade. Confira!

O que é private equity?

Os fundos deste tipo são uma modalidade de investimento por meio da qual uma gestora adquire parte de uma outra empresa, tornando-se sócia de um negócio com potencial de crescimento.

As empresas que participam da modalidade de private equity são organizações que não estão listadas na bolsa e buscam investidores externos interessados em aplicar recursos para o seu desenvolvimento.

Por isso, o investimento realizado em um fundo dessa natureza é feito de forma privada — por isso o nome — e o investidor tem a possibilidade de participar mais ativamente da gestão e administração do negócio.

Que tipo de empresa participa?

As empresas que participam de private equity são aquelas de porte médio, com potencial de crescimento mediante aplicação de investimentos e com faturamento razoável.

Como o investidor lucra?

O investidor lucra por meio de negociações posteriores, geralmente das próprias ações da empresa na qual foi investido o capital. Considerando que este capital contribuiu para o crescimento do negócio, trazendo maior valor às ações, essa valorização se traduz em lucro para os investidores.

Qual é a diferença entre private equity e venture capital?

Os fundos private equity oferecem menor risco que os fundos de venture capital. Isso porque aquele representa um tipo de investimento alocado em uma empresa já consolidada no mercado e que tem um faturamento considerável.

Tanto que seu propósito é justamente potencializar essas médias empresas, que buscam recursos para alavancar seus negócios tornando viável a sua abertura de capital.

As empresas que buscam private equity geralmente têm o objetivo de abrir o capital e, futuramente, entrar na bolsa de valores.

O venture capital, por sua vez, oferece mais riscos, já que a aplicação é realizada em empresas que ainda estão ganhando mercado, como startups, por exemplo.

Como funcionam os fundos de private equity na prática?

Para se tornar uma opção segura de investimento, vários processos e etapas são seguidos. Por isso não é qualquer organização que recebe esse tipo de aporte financeiro. Confira um passo a passo com as principais etapas de criação de um fundo de private equity:

  1. Contato inicial entre a empresa que quer fazer o aporte financeiro e a empresa que está procurando investimento;
  2. Análise da empresa que vai receber o aporte, com avaliação das características, produtos/serviços e potencial de crescimento;
  3. Avaliação do valor da companhia;
  4. Acordo entre os interessados por meio de contrato de investimentos com financiadora, sócios e acionistas da companhia;

Depois de firmado o acordo, a empresa que investiu os recursos começa a acompanhar o desempenho daquela que recebeu o investimento, participando ativamente da gestão e ajudando na valorização do negócio.

A etapa final consiste no retorno efetivo sobre o investimento. Após a valorização das ações, o fundo as negocia, retornando o lucro aos cotistas do fundo.

O que é preciso saber antes de participar?

A empresa que deseja receber o aporte financeiro por meio do private equity precisa estar atenta aos serviços oferecidos pela responsável pela criação e gestão do fundo.

O suporte de empresas com histórico positivo e expertise no mercado vai fazer toda a diferença no processo de recebimento dos recursos e relacionamento durante a gestão.

Como os fundos dessa natureza permitem que um investidor se torne integrante da empresa ou do negócio-alvo, é essencial que essa empresa, objeto do investimento, esteja assegurada sob o ponto de vista estratégico, jurídico, financeiro e operacional.  Para os investidores, o private equity é uma excelente possibilidade de ganho em rentabilidade e diversificação da carteira de investimentos.